fbpx

Paraná soma mais de 102 mil casos confirmados de dengue e 78 óbitos no período

O boletim divulgado hoje (07) pela Secretaria da Saúde do Paraná confirma 102.247 casos de dengue no Estado, com aumento de 14.527 casos em relação a semana anterior.

 

São 9 óbitos confirmados nesta semana. Na publicação da semana passada o total de óbitos no período era de 69, hoje são 78. O período de monitoramento começou em agosto de 2019 e segue até julho deste ano.

“Estamos vivendo um momento de isolamento social, as pessoas estão passando a maior parte do tempo em casa como medida de proteção fundamental para o controle do coronavírus; por isso reforçamos nosso pedido para que todos contribuam com uma verificação detalhada nos quintais e nos ambientes internos das residências para eliminação dos criadouros do mosquito transmissor da dengue. É o momento de identificarmos o foco e eliminarmos, é uma questão de responsabilidade social”, afirma o secretário da Saúde do Paraná, Beto Preto. 

“Temos uma situação de epidemia no estado por dengue e uma pandemia de coronavírus; precisamos aplicar todas as medidas preventivas para as duas infecções e, no caso da dengue, já esta comprovado que a retirada dos focos é a melhor alternativa”, complementou o secretário.

Eliminação – Nas 37 cidades onde a Secretaria Estadual da Saúde promoveu mutirões com retirada mecânia dos criadouros a taxa de incidência foi reduzida. As ações foram coordenadas pelo Comitê Intersetorial de Controle da Dengue no Paraná, e em alguns municípios contou com a participação de militares estaduais, representantes regionais da Defesa Civil e de soldados do exército, além dos agentes da Vigilância Ambiental dos municípios e do estado.

Quinta do Sol, por exemplo, saiu de uma taxa de incidência de 17 mil casos proporcional por 100 mil habitantes e nas últimas 4 semana reduziu este índice para 323 casos por 100 mil habitantes. “É uma diferença muito significativa comparando o acumulado de agosto de 2019. Esta constatação da redução faz parte de uma análise das últimas 4 semanas”, explica Beto Preto.

Barbosa Ferraz, que tinha incidência de 11.183 mil casos por 100 mil habitantes, proporcionalmente, apresenta nesta mesma análise a redução para 1.279 casos por 100 mil habitantes.

Em Guaíra, a incidência baixou para 124 casos por 100 mil habitantes. Antes da retirada mecânica dos criadouros a taxa era de 5.755 mil casos proporcionalmente.

Outro resultado positivo, considerado ideal, foi constatado em outras sete cidades . Nova Cantu, Cruzeiro do Sul, Guairaçá, Inajá, Nova Aliança do Ivaí, Santo Antonio do Caiuá e Lupionópolis, que tinham altas taxas de incidência epidêmica acumulada no período, não apresentaram até o momento casos de dengue autóctones nestas últimas 4 semanas, ou seja, zeraram a incidência neste período de análise.

Informe – Os nove óbitos que estavam em investigação e confirmados neste boletim foram registrados nos seguintes municípios: 2 óbitos em Cianorte, duas mulheres, sem comorbidades, uma de 50 anos e outra de 39; 2 óbitos em Toledo, uma mulher de 88 anos, com quadro de hipertensão, e um homem de 80 anos, com quadro de hipertensão e insuficiência cardíaca; um óbito em Londrina, mulher de 89 anos, com insuficiência renal crônica; um óbito em Ivaiporã, mulher de 37 anos, com sequela de paralisia cerebral; um óbito em Rolândia, homem de 51 anos, sem comorbidade; um óbito em Nova Aurora, homem de 59 anos, sem comorbidade, e um óbito em Santo Antonio da Platina, uma jovem de 15 anos, também sem histórico de doença pré-existente.

O boletim divulgado hoje também atualiza o número de municípios em epidemia; são 189. Outros 33 estão em situação de alerta.

Por Secretaria de Estado da Saúde (Sesa)